segunda-feira, julho 07, 2014

Soletro(-te)


Para que o encontro se prolongue
na ausência do nosso cruzar
de dedos,
há uma celebração quotidiana
do teu nome fora da minha boca.
Chamo-te como se de perto
me ouvisses, é só um murmurar
fugidio para que aqui te quedes.


Lidia Martinez, Um adeus perfeito

(Gratziela Gal)

Soletro o teu nome como se a boca estivesse a aprontar-se para um beijo. A língua a roçar o palato, os lábios entreabertos e trémulos.  
Soletro o teu nome e ardo, como num beijo.


                           

12 comentários:

  1. há nomes que apetece soletrar devagar :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E nem precisa ter muitos caracteres! ;)

      Beijinhos Marianos, Tétisq! :)

      Eliminar
  2. As vezes quando leio os teus posts, fico com lágrimas nos olhos. Agora aconteceu isso.
    Um beijinho, Maria! :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E agora quem ficou com os olhos húmidos fui eu!

      Beijinhos Marianos, Susaninha! :)

      Eliminar
  3. Respostas
    1. Rima muito bem! :)

      Beijinhos Marianos, Tio do sul! :)

      Eliminar
  4. Saborear quem amamos e o nome que amamos é o melhor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma maravilha, S*! :)

      Beijinhos Marianos! :)

      Eliminar
  5. Soletra-me à chegada
    Os beijos de despedida
    antecipam o gosto da ausência

    ResponderEliminar
  6. Lindo, Rogério!

    Beijinhos Marianos! :)

    ResponderEliminar
  7. A sensualidade de um encontro para além do encontro...

    Um beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tão bom quando perdura...

      Beijinhos Marianos, Lídia! :)

      Eliminar