sexta-feira, julho 18, 2014

Amar como um homem




(Snezana Bujosevic)
"Nunca ninguém amou completamente, houve sempre uma forma de amar fragmentária, parcial. Amou-se sempre em função de uma fracção do amor como se usou um vestuário segundo a moda, desde o calção ou o penante de plumas. Vou-te amar como Deus. Não, não. Deus não sente prazer nem movimento progressivo até ao prazer, coitado, é tão infeliz. Vou-te amar como um homem."

Vergílio Ferreira 


Será o amor um "movimento progressivo até ao prazer"? O fim do prazer será o fim do amor? O fim do amor será o fim do prazer?
Seja o que for, o que interessa definir o amor? 

15 comentários:

  1. Não interessa definir o amor, concordo plenamente contigo mas gosto de acreditar que o amor aparece quando a paixão se acalma e a rotina se instala. Só depois da tempestade é que podemos ter a certeza que a bonança veio para ficar. :)
    Beijinhos Maria e bom fim de semana :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Porém, nem sempre a bonança é muito interessante... ;)

      Beijinhos Marianos, I! :)

      Eliminar

  2. Minha amiga... desde que o mundo é mundo e desde que existem poetas, essa é a demanda mais antiga que existe: tentar DEFINIR O AMOR.


    Um beijo de cumplicidade
    (^^)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma demanda que só o é por ser o amor algo de tão intenso.

      Beijinhos Marianos, linda Afrodite! :)

      Eliminar
  3. Amor é amor e ponto final!
    É prazer sem definições e completo,nunca fragmentado!
    Amar não está na moda e nunca esteve.A moda é cíclica e o amor (o verdadeiro) não...Permanece!
    Deus é um coitado porque nunca sentiu o prazer humano de amar!
    E tu Maria?Amas e és feliz?
    Bom fim de semana~~~~~~~~~com Til*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :)))
      Amo, pois. :)

      Beijinhos Marianos, Til! :)

      Eliminar
  4. Quando li o titulo, fiquei aflito
    Depois despentei o texto
    e o desfecho
    a meu contento

    Seja lá o amor aquilo que for... amemos, e o prazer será aquilo que tiver de ser :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um título enganador. :)

      Sim, será o que tiver que ser. É o que é.

      Beijinhos Marianos, Rogério! :)

      Eliminar
  5. O Amor...sendo em nós "limitado" o modo de explicar, é infinito o modo de sentir; por isso nem tudo o que se sabe sentir, se sabe dizer...:))

    Bom Fim de Semana Maria:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sente-se, sim, não se explica.

      Beijinhos Marianos, Legionário! (Chove, mas dizem que na praia se está bem) :)

      Eliminar
  6. Afirmar que nunca ninguém amou completamente parece-me ir demasiado longe.

    Sendo muito difícil definir o amor, a melhor aproximação que encontrei foi no livro de M. Scott Peck, "O caminho menos percorrido".

    Beijinhos, Maria, bom fim de semana! :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostei da definição. :)

      Beijinhos Marianos, Susaninha! :)

      Eliminar
  7. Amor pode ser uma criança a estrangular um pássaro

    e nós a desenhar no chão a dor que sentimos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pode ser tanta coisa...

      Beijinhos Marianos, MA! :)

      Eliminar
  8. Vergílio Ferreira é tão bom! E o amor não se explica, sente-se :-))))))))

    ResponderEliminar