sexta-feira, fevereiro 03, 2017

Beijos

(Kees van Dongen)


A mulher de blusa branca sentou-se na mesa ao lado da dele. Parecia alheada do ruído das conversas, das loiças e dos pedidos feitos pelos empregados do café ao Sr. Arlindo, homem de farfalhudo bigode por detrás do balcão. Um vibrar do telemóvel fê-la atender. Por entre as outras vozes, conseguiu ouvir a dela, doce:
"-Doem-me os lábios dos beijos que te não dou!"



36 comentários:

  1. Excelente, Maria...
    O que eu gosto dos teus apontamentos de prosa poética
    acompanhados de música de bom gosto!
    Beijo.
    ~~

    ResponderEliminar
  2. ui, isso é carência a mais, coitada da senhora, isso não se faz!
    beijinhos Maria e bom fim-de-semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pode não ser. Imagina que ela acabou de estar com alguém e que nunca se farta de o/a beijar? Quer sempre mais. :)

      Beijinhos, Urso Misha :)

      Eliminar
  3. Ou por outras palavras, como dói ao beijo a falta de um rosto.
    Bom fim-de-semana, Maria:))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um rosto ou um qualquer outro pedaço de pele.

      Beijinhos, Legionário, e uma boa semana. :)

      Eliminar
  4. I love everything about this post!
    And thank you for introducing me to Devil Doll.
    Soooo good.
    Have an amazing weekend.
    xx💋

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Thanks, Rick!
      Devil Doll is very good,I agree.

      Kisses :)

      Eliminar
  5. Que bonita saudade, essa. Dói de bonita.

    ResponderEliminar
  6. Este teu texto fez-me sorrir, Maria. Se calhar por não esperar o final que lhe deste. :)

    Deixo-te eu um beijo, Maria. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parecia que ia ser um engate no café, não é?
      Bom, fazer-te sorrir.

      Beijos, Alaska :)

      Eliminar
  7. Um dia destes ainda inventam beijos virtuais. Espero que esse dia ainda venha longe :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Beijo que é beijo quer bocas, quer pele.

      Beijos, GM :)

      Eliminar
  8. beijos de Tântalo, diria!
    em qualquer caso uma bonita frase!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pelo menos, a tentação não estava ali, à mão, como as de Tântalo!

      Beijinhos, Manuel :)

      Eliminar
  9. Sem dúvida, que os beijos que ficam por dar doem muito ! ... Onde doem mais, não sei se será nos lábios !? ...
    Em todo o caso , como já foi dito, uma bela "imagem" !

    Beijos dados, para não ficar a doer :)

    ResponderEliminar
  10. Acho que nunca fiz uma chamada assim

    Feliz, por isso

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pudeste, decerto, dar os beijos que te aprouveram.

      Beijinhos, Rogério :)

      Eliminar
  11. é uma dor constante...
    muito bom, gostei, pra lá de muito...
    beijos, Maria Tutu

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Beijos amordaçados doem.
      Obrigada, Stormy!

      Beijocas :)

      Eliminar
  12. O poder que um telefonema tem de liquefazer sentimentos!

    Trecho de prosa alinhado na perfeição, Maria.

    Bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na falta da presença, usa-se o telefone. :)

      Obrigada, Agostinho!

      Beijinhos :)

      Eliminar
  13. Esses também doem de facto! Se calhar, de algum modo, ainda mais do que os outros.
    ~CC~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Houve um dia, suspeito, no qual todos sentimos uma certa dor na falta de um beijo por dar.

      Beijinhos, CC :)

      Eliminar
  14. Maria, muito romântica essa frase, linda, bjs e boa semana amiga

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Zulmira!

      Beijinhos e uma boa semana para ti :)

      Eliminar
  15. vozes doces sentem mais as ausências e os défices.
    boa noite, Maria Eu.

    ResponderEliminar
  16. Há sempre uma certa dor na ausência de um beijo, na ausência de quem faz falta.
    Beijos Maria
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma verdadeira droga, os beijos. Ressaca-se deles.

      Beijos, I :)

      Eliminar
  17. Lembrei-me da Charamba: "A ausência tem uma filha tem uma filha Que se chama saudade Eu sustento mãe e filha,ai mãe e filha Bem contra a minha vontade."
    Lembrei-me das separações contra vontade. Dos que se amam e não se podem tocar. Doem os lábios sim, dos beijos que se não dão, e dói também a angústia dentro do corpo.

    Recebe pois os beijos que te não dou.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa angústia permanente da separação, no corpo e na alma.

      Beijos, Luís :)

      Eliminar