terça-feira, dezembro 06, 2016

Sonata para um homem forte


Chegou antes da hora. Pela porta entreaberta via-o. Segurava-se, em equilíbrio periclitante, à mesa baixa da sala de estar onde repousavam as molduras com fotografias de filhos, netos e bisnetos, lado a lado com a jarra de camélias brancas. Reparou que se baixava para calçar os sapatos enquanto resmungava de si para si, quem sabe maldizendo o reumatismo que agora lhe tolhe pernas e mãos, dificultando-lhe os mais comezinhos gestos rotineiros. Ainda se sentiu tentada a entrar e oferecer ajuda, mas veio-lhe à memória o homem forte e sobranceiro de outrora, aquele que franzia o sobrolho à mínima tentativa de lhe afastarem empenos do caminho, e retirou-se, pé ante pé.


23 comentários:

  1. Beautiful post (as always.)
    I love Maria's playing, such peaceful beautiful music.
    Thanks for setting the tone for my day.
    x o x o

    ResponderEliminar
  2. Respostas
    1. São tão bonitas, não são, Laura?

      Beijos :)

      Eliminar
  3. Os empenhos do caminho...
    Muito bem dito. Eu a adivinhar aqui a têmpera da personagem e da filha Maria (?).
    Bj.

    ResponderEliminar
  4. começamos e acabamos quase do mesmo modo, poucas palavras e em tentativas de equilíbrio
    beijos Tutu

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é, Stormy, tens razão. Só que começamos por aprender e acabamos a desaprender...

      Beijocas, rapaz :)

      Eliminar
  5. Também tive a tentação de afastar-me pé ante pé...
    É que não sei porque se zangou comigo...
    Beijo
    ---

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não me zanguei com ninguém, Majo. Tenho andado pouco pela blogosfera.

      Beijos e uma boa noite :)

      Eliminar
  6. Meu avô Joaquim
    era um homem assim

    um dia, contava ele já 94
    bem contados
    quis segurar-lhe o braço
    para o ajudar a atravessar a rua

    sacudiu-me a ajuda
    e cambaleante e hirto
    lá foi seguindo...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São assim, os homens dos nossos afectos, a um tempo frágeis e fortes.

      Beijinhos, Rogério :)

      Eliminar
  7. E agora deixou-me com um nó na garganta porque me fez recordar o meu avô materno, o gajo mais porreiro que conheci na vida, que partiu quando eu tinha 10 anos.

    ResponderEliminar
  8. Maria, o seu texto fez-me lembrar o meu pai que em Janeiro irá fazer 94 anos.
    Saber envelhecer é a obra-prima da sabedoria e um dos capítulos mais difíceis na grande arte de viver.:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É bom tê-los muitos anos, desde que se mantenham bem.

      Beijinhos, Legionário :)

      Eliminar
  9. Este texto tocou-me fundo Maria. Fez-me lembrar a expressão e as palavras de meu pai, já muito doente no hospital quando insisti em dar-lhe o almoço à boca porque ele já não conseguia...
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os nossos doem-nos mais...

      Beijos, GM (e um abraço apertadinho)

      Eliminar
  10. Bom fim-de-semana Maria com Sol, hoje faço anos e vou de férias.:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muitos parabéns, Legionário! Ainda bem que o sol iluminou o teu dia de aniversário!

      Beijinhos e votos de boas férias :)

      Eliminar
  11. Festas Felizes Maria. O melhor que queres e pretendes para o teu 2017 !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Rogério! Que recebas muitas alegrias!

      Beijinhos :)

      Eliminar