terça-feira, agosto 23, 2016

Estranhamente



Vinha-lhe a urgência da fuga. Havia a rotina, enfadonha, das horas cheias de minudências, de ruído, de pessoas com rosto mas sem nome. Ansiava por Agosto, pelas manhãs mais longas de sono, pelo sol a morder-lhe a pele branca, pelos pés na erva, os pêssegos vermelhos e lisos colhidos directamente do pessegueiro, as uvas pintadas de negro na espera de Setembro.
Estranhamente, nesses dias lânguidos em que apenas os trinados dos pássaros e um ou outro cão ladrando perturbavam a leitura adiada de obras escolhidas com o cuidado de onze meses, nesses dias, sentia uma inesperada inquietude, uma falta da voragem em que julgara afundar-se sem salvação.


50 comentários:

  1. Gosto taaanto dos The Cure!

    somos seres que vivem numa insatisfação permanente, só estamos bem onde não estamos, já dizia o outro...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Insatisfeitos por natureza, os humanos.

      Beijos, Téstiq :)

      Eliminar
  2. A saudade da rotina é um sentimento muito estranho.
    Mas que existe.

    The Cure são companheiros desde os anos oitenta

    ResponderEliminar
  3. "A strange day" ou António Variações "Estou além".
    A mim soube-me bem o Agosto e não esperei por ele para as leituras :) e que bem que elas eram interrompidas por cigarras e andorinhas que passavam ou bandos de pombas.
    Beijos Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. AS leituras acompanham o ano, mas há aquelas que se guardam, qual iguaria, para mais o tempo de maior descanso.

      Beijinhos, Ursinho :)

      Eliminar
  4. Fui desafiado para o The Cure (sou fá incondicional) no Meo Arena em Novembro. A Maria acabou de atirar mais uma acha para a fogueira. Obrigado. :)

    ResponderEliminar
  5. Outra tentação para ir ver os The Cure?
    Ai, Maria
    :)
    Gosto como ilustraste a palavras e a imagem!
    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Podes ir com o Impontual!
      Obrigada, Isabel!

      Beijo :)

      Eliminar
  6. Sempre com bom gosto. Sabe bem ler-te ao som dos The Cure.

    ResponderEliminar
  7. Provavelmente estava a querer fugir de si própria, numa inquietação de quem só está bem onde não está...

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ou a vida é tão sôfrega que nem dá para apreciar as paragens...

      Beijos, Luísa :)

      Eliminar
  8. O ambiente que descreves, a inquietação da espera, a ansiedade por um tempo de pausa que terminará brevemente ouvi igualmente descreverem-no pessoas que viveram a guerra. A guerra directa com bombas a rebentar próximo e a guerra a distância com privação de alimentos e com a raridade de coisas banais que a escassez transforma em luxos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sabes, Luís, que tenho um amigo que sofre desse tipo de stress? Tantos anos depois da guerra colonial e ainda se encolhe com um simples ribombar de trovão.

      Beijinhos :)

      Eliminar
  9. O alvoroço dos preparativos, a sofreguidão na viagem e a insatisfação no destino.
    Tudo é o desejo e duas mãos pequenas apenas.
    No entanto, é sempre um gosto. Em Agosto ou em Janeiro.

    Bj.

    ResponderEliminar
  10. é dos "estranhamentes" mais lindo que já li...
    beijos Tutu

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. És um polvo deveras simpático, Stormy!

      Beijocas :)

      Eliminar
  11. Eterna inquietude, seja qual for a latitude. Coisas de humanos... :)

    Um beijinho, Maria :)

    ResponderEliminar
  12. Ter uma inquietação constante... sentirmo-nos como se tivesse-mos que fazer mais, como se pudesse-mos ser mais capaz.

    Há dias assim Maria…melhor ainda ouvindo com nostalgia The Cure :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para compensar o marasmo de outros dias.

      Beijinhos, Legionário :)

      Eliminar
  13. "Só estou bem onde não estou". :))
    Beijinhos, Maria.

    ResponderEliminar
  14. _________▄██✿███▄
    _______ ▄██▀██████▄
    ______██▀__███▒████
    _____██____███░░ٮ░▀
    ______██____██░░░░░
    _______██____ ██░░--- _ (❀✿❀)
    ________ █_____ █▒ ___ (✿ ☼ ✿)
    _________█ ___▓▓░▓___ (❀▐ ❀)
    ____█❀ _█_ ▓▓▓▒░▒▓__█_▐__▄
    _____▀█▀_ ▓▓_▓▓▒░▒▓ ▀█▐_█
    _________▓▓_▓▓▓▓▓▓____ ▐▀
    _________▓▓_▓▓▓▓▓______▐
    _______ ▓▓__▓▓▓▓_▓▓____▐░
    ______ ▓▓__▓▓▓▓▓___▓___▒▒
    _____ ▓▓_▓███❋██▓__▓▓▓
    ___▒▒___▓██▒███▒▓
    ___░___▓██▒███▒██▓
    ______▓██▒███▒███▒▓
    _____▓██▒███▒███▒██▓
    _____▓█▒███▒███▒███▒▓
    ▓___▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓▓
    ▓________▒░░░▒░░░▒
    ▓________▒░░░▒░░░▒
    ▓________▒░░▒_▒░░░▒
    ▓________▒░░▒__▒░░░▒
    ▓________▒░░▒__ ▒░░░▒
    ▓________▒░░▒__▒░░░▒
    ▓________▒░░▒▒░░░▒
    ▓▄▄▄▄▄▄▒░░▒░░▒
    ▓██████▒░░▒▒
    ▓_█___███
    ▓███____ ███
    ▓█_______███
    ▓________██❥█
    ▓________██▀██▄......★MaRiBeL★

    ResponderEliminar
  15. Gostei muito do texto, ME.
    As saudades de um Agosto bucólico, tão bem descritas!
    Quanto ao desassossego pela falta da voragem, não sei
    avaliar, pois foi mal de que nunca padeci.
    E estamos prestes a despedirmo-nos de mais um Agosto...
    Beijinhos, ME.
    ~~~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Talvez seja essa inquietude que nos faz resistir até ao Agosto seguinte.

      Beijos, Majo :)

      Eliminar
  16. Um estranhamente que nos perturba... Beijinho

    ResponderEliminar
  17. Maravilhoso texto! Entendo bem a inquietude de quem espera uma fuga, um anseio, ou apenas a celebração de cada instante...
    Uma boa semana.
    Beijos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Graça! Mulheres inquietas, é o que somos. Crescemos assim, mais impulsivamente.

      Beijos :)

      Eliminar
  18. Inquietudes, indecisões, incompreensões... Que há de estranho nisso? Um ser humano no seu melhor eehehehehee

    Beijinho Maria Tu, e acalma-te, já já volta o reboliço e a falta de tempo para pensar :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já voltou. Serão de Agosto, as saudades, a partir de agora.

      Beijos, noname :)

      Eliminar
  19. Está a cura feita.
    Adeus até pró ano.
    Bj.

    ResponderEliminar
  20. A rotina nos une e a rotina nos separa, sempre achei isso muito curioso.
    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Queixamo-nos dela, mas sem ela não vivemos tranquilos por muito tempo, a não ser que a substituamos por outra.

      Beijos, papoila :)

      Eliminar
  21. Eu também estou sempre incompleta!

    ResponderEliminar
  22. Olá, Maria!
    A quebra da rotina também inquieta... tão complicados que somos ;)
    bjn amg

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Talvez seja o que nos mantém realmente vivos, essa inquietude.

      Beijos, Carmem :)

      Eliminar