terça-feira, agosto 09, 2016

Gaivotas em terra


(Ana Barros)


Primeiro a estranheza. Aquele som estridente a ecoar no quarto, a luz ainda tímida, a entrar pelas frinchas da persiana. Depois, olhos abertos, sentidos já a despertar do torpor do sono, o mesmo som. Gaivotas! A mais de 30 quilómetros do mar, na cidade praticamente deserta dos seus e invadida por estranhos, as gaivotas faziam uma festa e lembravam-lhe que era tempo de ir ver o mar.



30 comentários:

  1. As gaivotas sabem que é no mar que se está bem.
    Beijo, Maria Tu :)

    ResponderEliminar
  2. Por aqui lembram-me todos os dias!
    Um beijinho Maria

    ResponderEliminar
  3. Uma estranheza a entrar
    na manhã o canto o desejo
    o apelo do mar

    Bj.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sempre forte, esse apelo.

      Beijinhos, Agostinho :)

      Eliminar
  4. Gaivotas!!!
    Isso é comigo, Maria. Ou é bom para mim!

    Como estás?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Temos esse gosto em comum. :)

      (estou bem. as palavras fogem-me)

      Beijos :)

      Eliminar
  5. ~~~
    Agosto é, mesmo, tempo de apreciar e mergulhar no mar,
    por isso, vai gostar do meu 'post'...
    Beijinhos mareantes...
    ~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E não é que gostei muito? :)

      Beijos, Majo :)

      Eliminar
  6. as gaivotas fugiram da invasão de turistas.
    Só pode :)))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vieram visitar-me, acho!

      Beijinhos, Pedro :)

      Eliminar
  7. É curioso como as gaivotas se adaptaram a esta Bracara Augusta, ao início eram duas e agora já são dez...
    Maria, seja Verão ou Inverno estão sempre presentes e a lembrar-me constantemente do mar:))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também te vistam. Sabem que amas o mar!

      Beijinhos, Legionário :)

      Eliminar
  8. Belo texto.... uma imagem arrebatadora.
    Impressionante como o destino nos envia mensagens para fazermos algo que já fizemos em tempos anteriores... uma volta, simples e rápida, para que possamos nos reforçar para o futuro!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ou nós procuramos os sinais que desejamos...

      Beijinhos, PDR :)

      Eliminar
  9. Agora que falas nisso...
    Sempre existiram aqui em terra. O ano inteiro. Em cima desses mesmos candeeiros, mas julgo que os deixando menos "cagados" Kkkkkk. A esvoaçar na mesma área, a fazer os mesmos cânticos. E nem precisa de existir "tempestade em vista". Foram embora no Verão. Chegaram as andorinhas e parece que disseram aos restantes: "Pirem-se daqui para fora, que isto agora é tudo nosso!" Eheheh.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aqui, ainda persistem.

      Beijos, Portuguesinha, e obrigada pelas palavras :)

      Eliminar
  10. Respostas
    1. Então não ia conhecer os Moody Blues? :D

      Obrigada, Ricardo,e um beijinho :)

      Eliminar
  11. Está tudo a mudar, até as gaivotas andam em terra e longe do mar... Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mesmo, GM!

      Beijos e as melhoras para a tua epicondilite :)

      Eliminar
  12. Olá, Maria.
    Ah, as gaivotas!
    Mesmo longe dele, cheiram a mar =)
    E é tão bom.
    bjn amg

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há quem não goste delas. Eu gosto muito! Tu, pelos vistos, também! :D

      Beijos, Carmem :)

      Eliminar
  13. Vou até ao mar. As gaivotas também me visitam...
    Beijos.

    ResponderEliminar
  14. Também gostam de explorar a cidade. :)

    ResponderEliminar