segunda-feira, junho 30, 2014

Entrega

Despi-me toda:
dos dedos ao ventre,
da minha pele à tua,
do meu pulsar à tua mão.
Estendi-me,
a oferenda dos deuses:
palpitante, morna,
balbuciando segredos.
E puseste as mãos
em concha, como ninhos,
e sentiste o fogo
e fechaste os olhos.
A luz brilhante cega
quando não a esperamos.


Lourdes Espínola



(Simone Lipschitz)

Nas tuas mãos palpita, quente, a minha carne rósea. Nos meus olhos afundam-se, acerados, os teus olhos. A ti me ofereço, grávida de ternura e de desejo. Toma-me assim, inteira, e antes de partires colhe dos meus lábios o rubro ardor de um beijo.

 

16 comentários:

  1. Não, não sei
    se alguém resistiria
    a tal partida
    ou ficaria
    para toda a vida

    Quando me aconteceu, fiquei

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É bom quando se quer e pode ficar.

      Beijinhos Marianos, Rogério!:)

      Eliminar
  2. Tenho mesmo que partir?
    Quero ficar!
    Uma mulher tem que saber ficar.,sem que ninguém lhe peça;)
    Uma questão de pele e sensibilidade.Coisas que se sentem melhor de olhos fechados...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ficar apenas porque apetece.

      Beijinhos Marianos, Til! :)

      Eliminar
  3. Recebi-te toda, pura Maria!
    A noite ou o dia já nem sei
    Se tinham indumentária
    Quando te desflorei!

    Por issso em ti fiquei!
    Quieto, calado e algemado
    Meu instinto apaziguei!
    Por estarmos lado a lado.

    Não parto mais do prazer,
    Que na tua entrega me dás!
    Ouço os corpos dizer:
    Marias, fiquem juntinhas, no resto dos amanhãs!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A tua Maria deve estar feliz.

      Beijinhos Marianos! :)

      Eliminar
  4. A pele nos alvores de um verão audaz...

    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O mundo é dos audazes!

      Beijinhos Marianos, Lídia! :)

      Eliminar
  5. Com uma imagem muito sugestiva, um poema que nos transporta para outra dimensão...
    A partida, com um beijo assim ardente, torna-se menos custosa.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma partida que é promessa de outra chegada.

      Beijinhos Marianos, Mariazita! :)

      Eliminar
  6. Querida Maria, os teus posts são um oásis na sociedade indiferente, infértil, triste.
    Mesmo eu, que vivo intensamente :-), tenho dificuldades em comentar estas pérolas. Maravilhoso! Tudo.
    Mas, claro, o teu texto é o que eu mais gosto. Por ser teu.
    Um beijo. :-)

    ResponderEliminar
  7. Oh!! Obrigada! :) Só sinto tudo com muita intensidade... Às vezes não é muito bom. (também se sofre mais)

    Muitos beijos, Susana, e obrigada, de novo! :)

    ResponderEliminar
  8. O poema é muito bonito tal como a entrega.
    Boa noite. :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo, Ana!

      Beijinhos Marianos e obrigada pela visita! :)

      Eliminar
  9. O teu texto está muito bom.
    Não queres pedir-lhe para ele não partir?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando se tem que pedir, talvez não valha a pena que fique...

      Beijinhos Marianos, Isabel! :)

      Eliminar