terça-feira, outubro 18, 2016

Dorme, meu menino

O Somno de João

O João dorme... (Ó Maria,
Dize áquella cotovia
Que falle mais devagar:
Não vá o João, acordar...)

Tem só um palmo de altura
E nem meio de largura:
Para o amigo orangotango
O João seria... um morango!
Podia engulil-o um leão
Quando nasce! As pombas são
Um poucochinho maiores...
Mas os astros são menores!

O João dorme... Que regalo!
Deixal-o dormir, deixal-o!
Callae-vos, agoas do moinho!
Ó mar! falla mais baixinho...
E tu, Mãe! e tu, Maria!
Pede áquella cotovia
Que falle mais devagar:
Não vá o João, acordar...

O João dorme... Innocente!
Dorme, dorme eternamente,
Teu calmo somno profundo!
Não acordes para o mundo,
Póde affogar-te a maré:
Tu mal sabes o que isto é...

Ó Mae! canta-lhe a canção,
Os versos do teu irmão:
«Na Vida que a Dor povoa,
Ha só uma coisa boa,
Que é dormir, dormir, dormir...
Tudo vae sem se sentir.»

Deixa-o dormir, até ser
Um velhinho... até morrer!

E tu vel-o-ás crescendo
A teu lado (estou-o vendo
João! Que rapaz tão lindo!)
Mas sempre, sempre dormindo...

Depois, um dia virá
Que (dormindo) passará
Do berço, onde agora dorme,
Para outro, grande, enorme:
E as pombas que eram maiores
Que João... ficarão menores!

Mas para isso, ó Maria!
Dize áquella cotovia
Que falle mais devagar:
Não vá o João, acordar...

E os annos irão passando.

Depois, já velhinho, quando
(Serás velhinha tambem)
Perder a cor que, hoje, tem,
Perder as cores vermelhas
E for cheiinho de engelhas:
Morrerá sem o sentir,
Isto é deixa de dormir...
Acorda e regressa ao seio
De Deus, que é d'onde elle veio...

Mas para isso, ó Maria!
Pede áquella cotovia
Que falle mais davagar:

Não vá o João, acordar...

António Nobre, Só



(Kate Summers)

Acordou, o João. Viu-se só, pernas trémulas, olhar perdido na casa grande e fria. Percorre o corredor manquejando, mão direita a repousar na anca dorida. Onde, a mãe? Onde a canção de embalar? Onde a infância, a juventude, a idade adulta de mãos firmes? O quarto é já ali, na porta entreaberta. Há uma cama em vez de um berço. Deita-se devagar. Quem sabe, dorme! Quem sabe, sonha com o canto da cotovia!


24 comentários:

  1. E agora, Maria, que só me apetecia
    embalar o meu pai...

    Boa noite, Maria
    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como apetece embalá-los...

      Beijos, Teresa, e um bom dia :)

      Eliminar
  2. One of my favorite Leonard Cohen songs.
    Thank you.
    xx

    ResponderEliminar
  3. Cumpriram-se as palavras da mãe. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E assim passou uma vida, depressa...

      Beijos, Carla :)

      Eliminar
  4. Mais um testemunho do quanto as palavras, ditas, lidas, cantadas são uma forma de embalar sentidos.
    Boa noite, Maria.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amo as palavras. São alento diário!

      Bom dia e um beijo :)

      Eliminar
  5. Bonito mas tão triste ...
    Fica um beijo Maria :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A vida é triste tantas vezes...

      Beijos, I (gosto de te "ver") :)

      Eliminar
  6. Maria, belo e doloroso este Post.

    "A velhice não se enjeita/Como o lixo da calçada/País que os velhos rejeita/Não é país, não é nada." Zeca Afonso

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "De velho se torna a menino."
      Obrigada, Legionário!

      Beijinhos :)

      Eliminar
  7. nã sou João, nem menino, mas dormia agora um soninho :)
    muito bom
    beijos Tutu linda.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh, papão, vai-te embora, lá de cima do telhado! Deixa dormir o menino, um soninho descansado!
      Obrigada, Stormy!

      Beijinhos :)

      Eliminar
  8. ../'´'´'\
    .//^ ^\\
    (/(_♥_)\).★MaRiBeL★
    ._/''*''\_
    (/_)^(_ )

    http://yomismaokk.blogspot.com.es/
    B. E. S. I. T. O. S.

    ResponderEliminar
  9. Uma beleza este "confronto" que fazes entre Nobre (tão só: o João?) e o teu texto (tão cru e verdadeiro: a condição humana). Comoves-me, Maria.
    Bj.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grata pelas tuas sempre reconfortantes palavras, Agostinho!

      Beijinhos :)

      Eliminar
  10. Entre o
    "acordou"
    e a "cotovia"
    vai uma vida
    que pode até ser a minha
    Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E que depressa passa, a vida!

      Beijinhos, Rogério :)

      Eliminar