quarta-feira, fevereiro 06, 2019

Coração




 (Paul Bond)

Estava assim, o coração, feito pedra, poroso, esmaecido, quase sem forma. Alguém o deixara na areia de uma praia do Norte fustigada pelo vento, uma chave e uma mensagem escrita atadas com firmeza ao contorno desgastado, como se fossem um corpo onde batesse.
O sol fizera brilhar a chave quando caminhava junto às dunas onde as memórias se misturavam com as camarinhas e os cactos.
Inclinou-se e pegou-lhe com mil cuidados. Sabia, ainda que não tivesse lido a mensagem ou experimentado a chave, que aquele coração estava destinado a bater ao ritmo do seu.

32 comentários:

  1. Respostas
    1. Pedras podem ser corações, não é, Rogério?

      Beijinhos :)

      Eliminar
  2. Nas praias, encontram-se com alguma frequência pedras em forma de coração. Parece que o mar se arma em artesão ou em escultor e nos desafia a imaginar histórias de amor. Um pouco como esta... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tantas formas que as pedras assumem... Basta soltar a imaginação!

      Beijo, Luísa :)

      Eliminar
  3. Que lindo Maria. Encontrar um coração assim é o sonho de tantos...
    Bjinhos

    ResponderEliminar
  4. Vender esse mito que o amor existe ainda acaba em tragédia!
    O Romeu e a Julieta que o digam... ;)

    Beijinhos sem mitos *******************

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que existe! Pode ser intermitente, acontecer uma só vez, arreliar-nos, encantar-nos, mas existe!

      Beijinhos, SOG :)

      Eliminar
  5. Cuidar do coração com todo o cuidado e carinho.
    Bjs, bfds

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um órgão tão prosaico e que tanto nos falta!

      Beijinhos, Pedro :)

      Eliminar
  6. E quando outro coração está destinado a bater ao ritmo do nosso, é a chave para a felicidade;)

    Olá, Maria:)

    ResponderEliminar
  7. Bom dia, Maria Eu
    Os corações metáforas
    têm riscos indeléveis
    na praia do amar
    virgem virgem virgem
    o amor o amor o amor
    será o instante antes
    antes que o nó se desate
    carnal

    A chave está nas linhas
    que prendem
    carinhosas delicadas
    não oprimem
    há pedras pedras vazias sem...

    Bj.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que fantástico coração, esse que "cantas"!

      Beijinhos, Agostinho :)

      Eliminar
  8. Uma imagem muito interessante, com um texto excelente.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  9. Um texto fantástico e uma musica linda...

    ResponderEliminar
  10. Hoje, entre muitos,
    no delta do rio
    para onde a torrente impele
    os seixos rolados de corações
    ensaiam o voo que os desprende
    da gravidade ficcionam (ou não)
    o dia dos namorados
    ou de namorados
    De verdade são apenas milhões
    E os outros?
    Pelo medo de compromisso
    não se deixaram afeitear


    Bj.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sabem o que perdem, esses que fogem...

      Beijinhos, Agostinho :)

      Eliminar
  11. tantos anos depois e a eleza mantem-se

    beijos de longe, far far away

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Far away, like where you intended some tima ago?
      Keep in touch!

      Beijinhos, João :)

      Eliminar
  12. mesmo assim eu acho que sim
    um coração tem sempre uma chave
    codificada
    não é a minha nem a tua
    longe lá longe
    existe
    aquela canção que a define
    um dia
    mais tarde
    vais compreender a mensagem

    beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma chave e um coração. Talvez uma chave e mais do que um coração? Ou um coração e mas do que uma chave?

      Beijo, KK :)

      Eliminar
  13. Não tarda as amendoeiras,
    os pessegueiros...
    depois,
    as macieiras
    explodirão
    de branco e então
    subindo à serra há
    uma trip que sobe
    ao nariz

    Bj, ME

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Primavera, essa fonte de descompassos!

      Beijinhos, Agostinho :)

      Eliminar
  14. Encontrou mesmo esse coração ou é uma metáfora? Com mensagem e tudo? E leu-a?
    Vejo que não costuma responder aos comentários, mas olhe, fiquei cheia de perguntas:)
    ~CC~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :))) É mesmo uma metáfora, CC! Tropecei nesta imagem e a imaginação perdeu-se numa praia onde costumo passear.
      Respondo aos comentários, só que, ultimamente, o tempo anda meio curto e fugidio.

      Beijo, CC, e obrigada pelas palavras. :)

      Eliminar