quarta-feira, fevereiro 06, 2019

Coração




 (Paul Bond)

Estava assim, o coração, feito pedra, poroso, esmaecido, quase sem forma. Alguém o deixara na areia de uma praia do Norte fustigada pelo vento, uma chave e uma mensagem escrita atadas com firmeza ao contorno desgastado, como se fossem um corpo onde batesse.
O sol fizera brilhar a chave quando caminhava junto às dunas onde as memórias se misturavam com as camarinhas e os cactos.
Inclinou-se e pegou-lhe com mil cuidados. Sabia, ainda que não tivesse lido a mensagem ou experimentado a chave, que aquele coração estava destinado a bater ao ritmo do seu.

15 comentários:

  1. Nas praias, encontram-se com alguma frequência pedras em forma de coração. Parece que o mar se arma em artesão ou em escultor e nos desafia a imaginar histórias de amor. Um pouco como esta... :)

    ResponderEliminar
  2. Que lindo Maria. Encontrar um coração assim é o sonho de tantos...
    Bjinhos

    ResponderEliminar
  3. Vender esse mito que o amor existe ainda acaba em tragédia!
    O Romeu e a Julieta que o digam... ;)

    Beijinhos sem mitos *******************

    ResponderEliminar
  4. Cuidar do coração com todo o cuidado e carinho.
    Bjs, bfds

    ResponderEliminar
  5. E quando outro coração está destinado a bater ao ritmo do nosso, é a chave para a felicidade;)

    Olá, Maria:)

    ResponderEliminar
  6. Bom dia, Maria Eu
    Os corações metáforas
    têm riscos indeléveis
    na praia do amar
    virgem virgem virgem
    o amor o amor o amor
    será o instante antes
    antes que o nó se desate
    carnal

    A chave está nas linhas
    que prendem
    carinhosas delicadas
    não oprimem
    há pedras pedras vazias sem...

    Bj.

    ResponderEliminar
  7. Uma imagem muito interessante, com um texto excelente.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  8. Um texto fantástico e uma musica linda...

    ResponderEliminar
  9. Hoje, entre muitos,
    no delta do rio
    para onde a torrente impele
    os seixos rolados de corações
    ensaiam o voo que os desprende
    da gravidade ficcionam (ou não)
    o dia dos namorados
    ou de namorados
    De verdade são apenas milhões
    E os outros?
    Pelo medo de compromisso
    não se deixaram afeitear


    Bj.

    ResponderEliminar
  10. tantos anos depois e a eleza mantem-se

    beijos de longe, far far away

    ResponderEliminar
  11. mesmo assim eu acho que sim
    um coração tem sempre uma chave
    codificada
    não é a minha nem a tua
    longe lá longe
    existe
    aquela canção que a define
    um dia
    mais tarde
    vais compreender a mensagem

    beijo

    ResponderEliminar
  12. Não tarda as amendoeiras,
    os pessegueiros...
    depois,
    as macieiras
    explodirão
    de branco e então
    subindo à serra há
    uma trip que sobe
    ao nariz

    Bj, ME

    ResponderEliminar