domingo, março 18, 2018

Mãos de dar


(Stephen Morris)

Do seu menos de um metro de altura, esticava-se, em bicos de pés, para beijar o rosto jovem da sua mãe. Depois, ela dava-lhe a mão e seguiam, tagarelando.

Do alto da sua altura adulta, dobrava-se, joelhos quase a tocar o chão, para beijar o rosto enrugado da sua mãe. Depois, sentava-se ao lado da cama, segurando-lhe a mão, enquanto lhe contava do mundo lá fora.


19 comentários:

  1. todos dizem que é a vida, mas não dói menos por isso.

    um abraço forte, Maria

    ResponderEliminar
  2. Pelas mãos de minha maezinha
    Andei nos tempos de então
    Hoje como está velhinha
    É ela que anda pela minha
    Faço a minha obrigação

    Quase que perdeu o tino
    Pobre mãe como mudou
    Que coisas há no destino
    Eu agora é que lhe ensino
    Tudo o que ela me ensinou

    Toda a radiosa alegria
    Na sua alma é defunta
    Ela que tudo sabia
    E que tudo me dizia
    Hoje tudo me pergunta

    Agora só peço a Deus
    Que neste mundo de escolhos
    Quando ela for para os Céus
    Seja eu quem feche os olhos
    Aquela que abriu os meus

    Fernando Farinha


    Boa noite Maria TU

    ResponderEliminar
  3. As mãos são
    mais que o resto
    a forma mais
    sincera
    de sentir o outro
    e dele nos sentir perto

    Se não fossem as mãos
    que significado teria o beijo?

    ResponderEliminar
  4. Perfect aria for the Equinox and
    some beautiful weather.
    Happy Spring.
    xox

    ResponderEliminar
  5. Assim haveria de ser sempre, com todas as mães e todas as filhas. Beijinho Maria

    ResponderEliminar
  6. Uma ternura de postagem. Adorei

    Hoje:- Saudosa Viagem...

    Bjos
    Votos de uma boa Segunda-Feira.

    ResponderEliminar
  7. O alicerce da alma e da vida.

    Uma boa semana Maria, com a Primavera a entrar:))

    ResponderEliminar
  8. dar e receber as mãos

    muito bonito, Maria!

    ResponderEliminar
  9. Saudades desses tempos mágicos. No lugar de uma e de outra...

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  10. A peça tem dois actos
    as mesmas personagens
    em dois tempos, assim:
    tem um princípio e um fim.

    Bem pensado, Maria.
    Bj.

    ResponderEliminar
  11. Porque um texto tão pequeno com este fez meus olhos transbordarem lagrimas? Estou totalmente sem palavras para descrever como palavras podem ser dolorosas...

    www.memorizeis.com

    ResponderEliminar
  12. Mãos dadas
    uma bela transfusão de sonhos
    Bj

    ResponderEliminar
  13. Um dia , alguém disse ao Mestre:
    - O mundo da Pintura está saturado. qualquer dia a arte acaba!
    E o Mestre:
    - Enquanto houver um artista que saiba transpor para a tela a beleza do gesto carinhoso duma mãe para o filho, a Arte nunca acabará!
    É essa beleza que vejo na imagem! E é o que vejo nas palavras!

    ResponderEliminar
  14. Dois tempos. Mas sempre uma mãe e uma filha. E as mãos que se dão.
    Magnífico.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar