sábado, novembro 17, 2018

Um dia...


(Aykut Aydogdu)

Cansava-se amiúde da complacência para com a rotina de conversas inúteis, em reuniões igualmente inúteis, que a arrastavam em dias intermináveis. 
Um dia, pensou, um dia dou um murro na mesa e grito "basta"! 


33 comentários:

  1. Caros amigos leitores,

    estamos de volta com um novo conto ainda sem título.
    Convidamos-vos, assim, a ler o capítulo 0.
    https://contospartilhados.blogspot.com/2018/11/novo-conto-ainda-sem-titulo-capitulo-0.html

    Sempre com um enorme carinho e respeito por vós,
    AUPAC

    ResponderEliminar
  2. I love Aydogdu's disjointed illustrations.
    Amazing.

    ResponderEliminar
  3. "Chega sempre a hora em que não basta apenas protestar: após a filosofia, a acção é indispensável." Victor Hugo

    Uma boa semana, Maria:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois... mas ainda se engolem alguns sapos.

      Beijinhos, Legionário :)

      Eliminar
  4. Todos nós passamos por dias em que nos apetece dar o grito do Ipiranga...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cada vez mais me apetece, esse grito!

      Beijinhos, Lua Azul :)

      Eliminar
  5. Que gritar liberdade seja sempre opção.

    ResponderEliminar
  6. Às vezes muitos nós deveríamos fazer mesmo isso. Dizer basta a esta sociedade e começar tudo de novo. A música andei a pesquisar interpretada por Anthony Hamilton e Elayna Boynton, para o o filme de Tarantino "Django Unchained". A ilustração excelente !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Somos cada vez mais esmagados pela rotina de coisas sem sentido.


      Beijinhos, Ricardo, e obrigada. :)

      Eliminar
  7. Por vezes é preciso dizer basta e virar o jogo.
    Beijinho Maria

    ResponderEliminar
  8. I know the feeling so well!!!
    Bjs, boa semana

    ResponderEliminar
  9. Dá o murro na mesa. Complacência, não… Gosto muito destes textos que escreves.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  10. Maria,tens poder de síntese!

    "Basta" de compostura.
    Descomponho-me,melhor, decomponho-me
    Se me quiserem, então,
    hão-de vir comer-me à mão

    Bj.

    ResponderEliminar
  11. Aquilo que escrevi acima, não diz respeiteo à minha pessoa. Estava a comentar o teu texto.
    Por via dos mal entendido, que muitos, fica o esclarecomento. Tenho dito.
    Não choveu hoje, Maria!
    Bj.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :)) Eu percebi-te perfeitamente!
      Os nossos dias estão tão cheios de reuniões e outras "ões" sem sentido, não estão?

      Beijinhos,Agostinho :)

      Eliminar
  12. das reuniões inúteis, recordo aquelas cuja ordem de trabalhos era: "um resumo alargado de..."

    até hoje ignoro como é que um resumo poderá ser alargado, por isso

    viva o murro na mesa!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. tanta inutilidade que nos sufoca os dias...

      Beijo, Manuela das palavras e dos desenhos maravilhosos. :)

      Eliminar
  13. Por onde andas? Estás a dar murros na mesa de quem?

    ResponderEliminar

  14. :)) A reprimir os murros, infelizmente!

    Beijinhos, Luís :)

    ResponderEliminar